in

Oldtimer GP Nürburgring, uma sala com vista

AvD é a sigla de um dos dois grandes clubes do automóvel que existem na Alemanha, o Automobilclub von Deutschland.

Além das atividades de apoio ao automobilista clássico, o AvD organiza reuniões e eventos esportivos na área de carros clássicos. O seu maior evento anual, tanto em termos de dimensão como em termos de participação das equipas inscritas e do público presente, é o Oldtimer Grand Prix do Nürburgring.

Como sabemos, o outro grande clube, o ADAC (Allgemeine Deutsche Automovil-Club), organiza o Eifelrennen, evento do qual eles tiveram novidades recentemente os leitores de A Escuderia.

[su_youtube_advanced https = »sim» url = 'https: //youtube.com/watch? v = BczrgYzHMWI']
Crédito: Usuário jensst82, do Youtube

De 9 a 11 de agosto de 2013, o AvD organizou a 41ª edição de seu evento estrela, com uma gama variada de atrações resumidas em enormes listas de participantes nas seguintes categorias:

[su_quote]

→ Corrida 1 - Troféu FIA Lurani, Fórmula Júnior

→ Corrida 2 - Campeonato Histórico FIA Masters de Fórmula 1 (inscrito pelo espanhol Joaquín Folch com Brabham BT49C de 1981)

→ Corrida 3 - Revival German Championship 1972-1981

→ Carrera 4 - Carros de corrida e GT até 1961

→ Corrida 5 - Carros históricos do Grande Prêmio até 1960 (espanhol Joaquín Folch com Maserati 250F de 1956)

→ Corrida 6 - Campeonato Histórico FIA Masters de Fórmula 1

[/ su_quote]

Carros de alto valor, como o Ferrari 250GT SWB, não hesite em participar
Carros de alto valor, como o Ferrari 250GT SWB, não hesite em participar

[su_quote]

→ Corrida 7 - Cavalheiros (GT até 1965, o espanhol Joaquín Folch entrou com Jaguar E de 1962)

→ Carrera 8 - Veículos anteriores a 1940

→ Carrera 9 - corrida BMW

→ Corrida 10 - Troféu AvD Touring Cars, de 1947 a 1965.

11ª corrida - Maratona histórica de AvD (Registrado o espanhol Carles Barangé e Enrique Clúa com Porsche 356C de 1964)

→ Corrida 12 - Troféu Nürburgring

→ Carrera 13 - Vintage

→ Carrera 14 - Revival DTM / STW

[/ su_quote]

O melhor quarto com vista para o panorama clássico
O melhor quarto com vista para o panorama clássico

[su_quote]

OUTROS INCENTIVOS:

→ Desfile do 50º aniversário do Porsche 911

→ Voltar para o Nordschleife do Porsche 956 de Stefan Bellof

→ Exposição 90º aniversário de Le Mans

→ Sessões de assinatura de autógrafos

→ Leilão de clássicos

→ Apresentação de novos modelos, como Jaguar e Alfa Romeo

→ Lojas de acessórios

[/ su_quote]

Um elegante Mercedes-Benz 300SL da Suécia
Um elegante Mercedes-Benz 300SL da Suécia

Dinheiro bem gasto

Se o programa de atividades era exaustivo para os participantes, também o era para os espectadores, com corridas ininterruptas que começavam todos os dias às oito e meia da manhã e continuavam sem descanso até às nove e vinte da noite.

O facto de apenas três espanhóis terem se inscrito nas provas do Grande Prémio Oldtimer indica o quão pouco desenvolvido está o passatempo a nível internacional no nosso país, ou revela os elevados custos de participação que fazem com que estas provas fiquem reservadas exclusivamente aos verdadeiramente ricos. Ambos são provavelmente verdadeiros.

Dicas rigorosas para quem quer assistir como espectador As próximas edições deste grande evento alemão são, neste caso mais do que nunca: assistir em boa forma física e calçar o mais confortável possível. Ingredientes essenciais tendo em vista os muitos quilómetros que será necessário percorrer para estar sempre no centro da ação, seja dentro do paddock, nas arquibancadas ou no meio das montanhas ao longo da antiga rota de Nordschleife.

Sem contar as visitas à área comercial integrada nas novas instalações, onde o espectador pode ser fornecido com toda a mercadoria para o cultivo de seu hobby.

Um Opel GT bem preparado por Conrero
Um Opel GT bem preparado por Conrero

Da mesma forma, será muito útil ter um mapa do circuito e do programa com os horários e as listas de entrada em mãos com antecedência.

Esta lista de inscrições nas diferentes corridas, impressa a partir do site da organização, ocupa 35 páginas limpas de pó e palha, o que nos dá uma ideia da magnitude do evento.

Os bilhetes custam 38 euros por pessoa por dia, sendo possível adquirir um bilhete válido para todo o fim-de-semana por 58 euros. O torcedor do automobilismo clássico nunca terá feito melhor uso de cada euro gasto para acessar o circuito de Nürburgring que por ocasião do Grand Prix AvD Oldtimer.

Vários estacionamentos gratuitos estão localizados a uma distância razoável das entradas principais. Os mais próximos são reservados por clubes e organizações de eventos ou são pagos.

Nenhum participante escapa de passar na inspeção técnica (TÜV)
Nenhum participante escapa de passar na inspeção técnica (TÜV)

A forma ideal de passar alguns dias de fruição da atividade sem ter que competir no circuito é inscrevendo-se nas atividades de um dos muitos clubes que frequentam com seus sócios, sendo assim possível acessar as grandes áreas atrás do volante do seu próprio carro. reservado dentro. Esporadicamente, há placas espanholas que se aventuram entre as de outros países com representações mais numerosas.

OS PARTICIPANTES

Analisando previamente as listas de participantes, descobrimos a variedade e quantidade de marcas registadas, não só as mais conhecidas como Jaguar, Ferrari ou Porsche, mas também outras difíceis de admirar noutras ocasiões.

Um Maserati A6GCS de 1954 e um Porsche 550 de 1959 foram inscritos no Carrera 4 (GT até 1961), embora talvez o mais notável em sua classe fosse o Ferrari 250GT SWB "Breadvan" de 1961. O Bugatti 35 e 37 de 1930 e 1928 respectivamente, não faltaram na Race 5 (carros históricos do GP até 1960), em que também participaram Connaught de 1954 e Scarab Offenhauser de 1960.

Na Corrida 6, dedicada aos carros históricos da F1, nomes exóticos como Wolverine (1965), Royale RP6 (1971) ou Abarth Osella (1973) estiveram presentes. Uma variedade de Ferrari 250 SWB, Porsche 904 GTS e Aston Martin DB4 GT disputou o Carrera 7, de GT até 1965; enquanto dois muito raros Alfa Romeo 8C Monza de 1931 e 1932 Eles não hesitaram em enfrentar o Maserati 4CM 1934, o Veritas RS 1948 e o Bugatti 43 1928 na Corrida 8 de veículos antigos pré-1940.

avd_oldtimer_2013_18_ferrari_breadvan
[su_youtube_advanced https = »sim» url = 'https: //youtube.com/watch? v = oWZqb_PX12A']
Crédito: Usuário SF2819, do Youtube

O Carrera 9 era uma monocultura BMW; portanto, uma farra sem limites para os fãs da marca Munique, já que todas as versões e modificações imagináveis ​​podem ser admiradas: 3.0 CSL Alpina, 2800 CS Schnitzer, grupos A, grupos N e M1 Procar evoluíram em grande abundância.

No Carrera, 10 carros de turismo do pós-guerra até 1965 estavam agrupados em um conjunto heterogêneo que ia do Porsche 356 ao Ford Mustang, passando pelo Lotus Cortina ou Alfa Romeo Giulia Sprint.

A peculiaridade das corridas 11 e 12 é que ocorreram no Nordschleife ou, em outras palavras, no antigo circuito norte de Nürburgring, com a maior participação. A histórica maratona Tem duração de 150 minutos para os participantes da Corrida 12 e 210 minutos para os inscritos na Corrida 11, a mais longa e difícil do fim de semana.

[su_youtube_advanced https = »sim» url = 'https: //youtube.com/watch? v = 9CncYjS6xrM']
Crédito: BMWE21.net, do Youtube

avd_oldtimer_2013_26

Este foi um dos Alphas Monza participantes, pintado em um curioso azul turquesa (Por Brian Snelson)

No Carrera 13 (Vintage), reservado aos veículos mais antigos a partir dos fabricados nos anos 8, estiveram presentes os já mencionados Alfa Romeo XNUMXC Monza, possivelmente os carros com os preços mais elevados do mercado atual que se arriscam aos riscos da competição do circuito.

Na outra extremidade, Carrera 14 (Renascimento DTM / STW) suportava veículos relativamente recentes, como o Mercedes-Benz 190 Evo II ou o BMW M3 DTM, fabricados na década de XNUMX.

AS ATIVIDADES

Empezando por el viernes, día 9 de agosto, uno de los platos fuertes del Oldtimer Grand Prix lo constituye el Maratón Histórico celebrado tradicionalmente en el antiguo trazado o Nordschleife, que con sus 22 kilómetros es el circuito más largo y difícil del mundo de los clásicos na Europa. Os alemães Daniela Ellerbrock e Alexander Furiani com Alfa Romeo Giulia venceram a corrida, seguidos por Reinhold Gröpper e Horst Walther com Ford Mustang.

Os espanhóis Carles Barangé e Enrique Clua, com Porsche 356 C, eles subiram para um discreto 21º lugar na classificação geral entre as 35 equipes que terminaram a corrida.

De sábado, dia 10, a domingo, 11 de agosto, seria praticamente impossível entrar em detalhes de todos os eventos que estavam acontecendo sem pausa, tanto dentro quanto fora dela.

Folch conquista a terceira posição no grid de largada
Folch conquista a terceira posição no grid de largada

De referir, no entanto, as corridas Gentlemen Drivers, reservadas aos veículos GT fabricados até 1965 e, pela sua importância para o campeonato internacional, a histórica corrida FIA Masters Fórmula 1, ambas com participação espanhola.

Na primeira, Joaquín Folch correu com um lindo Jaguar E Roadster adornado com adesivos da equipe Montjuich embora matriculado na Inglaterra, com o qual, ao se aliar ao britânico Simon Hardfiel, só conseguiu se classificar em quarto lugar, resultando na vitória de Alex Buncombe em outro Jaguar E.

No que diz respeito ao campeonato FIA Masters de Fórmula 1, o fim de semana foi amplamente dominado pelos britânicos Michael Lyons (Williams FW07) e Steve Hartley (Arrows A4). Ambos conquistaram os dois primeiros lugares da grelha de partida nas duas corridas (com pole para Lyon), terminando o sábado na mesma ordem.

[su_youtube_advanced https = »sim» url = 'https: //youtube.com/watch? v = eA9w2U-jmT8 ′]
Crédito: Blog Autogefuehl, do Youtube

No domingo, Joaquín Folch conseguiu com Brabham BT49C lixar entre os dois, Lyons e Hartley, e terminar a corrida na segunda posição. Tendo largado na terceira posição, Folch caiu para a quinta posição, mas conseguiu voltar para terminar em segundo.

As vistas de qualquer canto de Nürburgring, especialmente dos andares elevados dos edifícios que cercam o paddock, são excelentes, não deixando espaço para um minuto de monotonia. Na opinião de muitos fãs de todas as nacionalidades que povoam o circuito, o Nürburgring tem o melhor quarto com vistas da temporada

No sábado ao meio-dia, todos os modelos e variações imagináveis ​​do Porsche 911 se reuniram na pista, que sob a organização eficiente do Porsche Classic comemorou os 50 anos da marca. A caravana foi comandada por Derek Bell e embora fãs de países geograficamente mais próximos da Alemanha tenham participado de forma massiva, placas de carros de pontos mais distantes da Europa como Suécia, Noruega, Finlândia ou Rússia também puderam ser vistas.

avd_oldtimer_2013_06_911_dereck_bell
[su_youtube_advanced https = »sim» url = 'https: //youtube.com/watch? v = ShXJDHaVg-I? t']
Crédito: Hans-Günter Diederich, do Youtube

Derek Bell também seria contratado no domingo para dirigir o Porsche 956/007 no Nordschleife, um dos mais rápidos da história do campeonato mundial do Grupo C, que competiu na temporada de 1983 e ainda detém o recorde de volta mais rápida no famoso circuito alemão.

Em 1983, o malfadado Stefan Bellof estabeleceu o recorde de Nordschleife em um tempo imbatível e invencível de 6'11. No 30º aniversário do disco, Derek Bell voltou à pista com o mesmo carro.

Como anedota, na manhã de domingo, enquanto comia um suco de laranja no centro de operações da Porsche, o chefe da organização da fábrica comentou com este cronista minutos antes de transferir o carro do paddock central de Nürburgring para o Nordschleife que a partida seria estar duas horas atrasado em relação ao previsto no programa oficial.

O motivo foi que os torcedores fizeram inúmeros grafites no asfalto, como é tradicional, para incentivar os participantes da Maratona Clássica desta sexta-feira. A pintura deixa a pista escorregadia e uma equipe de trabalho se encarregou de retirá-la antes da entrada do 956 para a aderência adequada dos pneus.

A Simplex La France lembra sua participação na Pequim-Paris
A Simplex La France lembra sua participação na Pequim-Paris

Sob a enorme marquise da excelente revista Motor Klassik, a mais lida na Alemanha em sua especialidade, houve uma interessante exposição de carros participantes e vencedores das 24 Horas de Le Mans, em comemoração aos 90 anos da famosa corrida de resistência.

Entre os veículos presentes estavam vários diretamente dos museus Audi, Mercedes-Benz e Porsche. Era possível admirá-los enquanto tomava um café em lindas xícaras especialmente editado por Motor Klassik ou folheou as últimas notícias editoriais sobre o assunto em questão.

Não muito longe dali, um grande recinto foi habitado pela marca Jaguar, que apresentou alguns veículos históricos Tipo C e D para vestir a apresentação de seu novo supercarro, o C-X75. É um híbrido de 1.600 cc, 862 cv e caixa automática de 7 velocidades capaz de atingir a velocidade máxima de 354 km / h.

O preço não foi comunicado mas, como se costuma dizer, quem o indagar não poderá comprá-lo.

Apresentação do Alfa Romeo 4C
Apresentação do Alfa Romeo 4C

Jaguar não foi a única marca que apresentou um novo modelo; A Alfa Romeo aproveitou a grande concentração de clubes de seus fãs leais para apresentar o 4C. Um carro que vai ser falado com sua estrutura leve de carbono e carroceria composta, concebida para ser a competição do Porsche Cayman. Os preços decidirão o jogo. O carro da foto à vista dos leitores corresponde a uma série limitada de 500 exemplares, Edição de lançamento, vendido a € 61.000 por unidade.

Ao longo do fim de semana, as surpresas surgiram a cada passo, não apenas no campo dos supercarros, mas também em peças redescobertas ou difíceis de encontrar em outros lugares, como um Porsche 356 1950, o mais antigo Porsche do presente decorado. Também com acessórios da época, ou um Simplex American La France, participante do comício Pequim-Paris de 1907.

Especialmente quando o sol brilha no fim de semana, Nürburgring se torna um destino onde verdadeiros fãs do automobilismo clássico se misturam com turistas e curiosos comuns que, ao passar pela bilheteria, contribuem favoravelmente para reduzir o perigoso déficit da administradora. Em meus muitos anos participando do Grand Prix do Oldtimer Eu nunca tinha visto as arquibancadas tão lotadas como desta vez.
 
 

 
 

Imagens em tamanho real (1.280 px aprox.)


 

Avalie esta notícia e Comente!

O que você acha?

Mario laguna

Escrito por Mario laguna

Mario Laguna, autor do livro “The Pegaso Adventure”, estudioso e observador da história do automobilismo, marcas e personagens. Visitante regular em competições automobilísticas, sejam de categorias atuais ou históricas, concursos internacionais de elegância, conferencista ... Veja mais

Comentários

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

50.3kfãs
1.7kSeguidores
2.4kSeguidores
3.1kSeguidores