Citroën XM
in

Eu amoEu amo IrritadoIrritado

Citroën XM, um tapete voador problemático

No final dos anos 80, a Citroën colocou em circulação a substituição do lendário CX. Não era uma tarefa fácil, então ele partiu e procurou quebrar os moldes com inovações e um design Bertone. E ele fez, garoto ele fez, mesmo que eles tenham estragado tudo com a feliz economia de custos ...

A Citroën é, ao que tudo indica, um fabricante que viveu momentos muito diferentes. Tem sido uma marca muito inovadora e ousada, com soluções que chamam a atenção, por vezes ideias algo malucas e designs que, gostemos ou não, sempre foram carregados de personalidade. Este foi, talvez, um de seus detalhes mais polêmicos e que marcou, por vezes, o futuro e o sucesso de seus modelos. 

No entanto, este projeto também teve seus prós e contras, tendo passado por várias etapas. Por exemplo, ele passou do impressionante Citroën BX, um carro quase cult hoje, ao Citroën ZX, que embora fosse um grande carro, carecia de um design bastante convencional. Depois veio o Xsara, ainda mais convencional que o ZX, mas depois veio a primeira geração do C4 e a verdadeira personalidade da marca foi recuperada. Ousado, inovador, "especial". 

Atualmente, a empresa francesa parece aproveitar as tendências do mercado, com designs cada vez mais ornamentados e elaborados, para deixar sua personalidade particular fluir ao máximo. Os designers se empolgaram e deram forma a uma das gerações menos convencionais da Citroën dos últimos anos. O atual Citroën C4 é um dos carros mais raros que a marca colocou em produção, quase tanto quanto o Citroën AMI 6

No entanto, onde a marca sempre manteve a sua personalidade intacta, esteve nos modelos mais representativos do catálogo, no maior, equipado e poderoso. Poderíamos dizer que todos os descendentes do desejado Citroën DS Eles mantiveram sua personalidade e as características básicas de toda a Citroën. Aí está o grande Citroën CX, um modelo que é considerado um dos melhores automóveis da marca em toda a sua história, aliás, sem ir mais longe, a revista Autopista atribuiu-lhe o prémio de Melhor Carro de Todos os Tempos. 

Muita expectativa dada sua condição

Estamos falando da Citroën, uma marca que nos fóruns e nas redes sociais é sempre espancada, criticada e, em certa medida, menosprezada. Como é possível que tal marca tenha alguns dos carros mais desejados e respeitados em seu nome? Você pode perguntar a quem quiser, por exemplo, o Citroën BX GTi ou o Citroën GS. Você pode até perguntar a quem quiser sobre o Citroën XM, um dos últimos "reais" Citroën, de acordo com a maioria dos fãs da marca. 

O Citroën XM é precisamente a substituição do CX, algo que foi um peso enorme para este carro que, no entanto, não prejudicou em nada o seu antecessor. Ainda é fácil lembrar comentários a respeito do XM, sempre negativos em relação ao seu design ou, simplesmente, ao fato de ser um Citroën. E ainda hoje falar do XM é falar de um grande carro, um modelo que parece estar sendo mais bem visto pelos fãs. Mas é claro que o carro carrega uma imagem ruim que não é totalmente justificada. Sim, houve unidades que deram problemas, mas eram principalmente da primeira série, algo muito mais comum do que muitos pensam e não só na Citroën. Você nunca ouviu falar de "problemas da juventude"? 

Com nada menos que 30 anos atrás, o Citroën XM é um clássico por si só. Pode não parecer assim por design, mas tenha em mente que os futuros clássicos serão muito diferentes do que estamos acostumados. Seu desenho foi executado por Giuseppe Bertone, que soube mesclar perfeitamente um estilo pessoal e, por assim dizer, peculiar, com a modernidade que se exige em 1989. Foi o carro que estreou o design que mais tarde seria usado por o Citroën Xantia e, até certo ponto, o Xsara. Escolheu uma carroceria saloon, com hatchback (um "dois volumes", não um sedã de três carrocerias), com um bom trabalho aerodinâmico como era costume na marca. 

Era un auténtico Citroën un diseño con personalidad, un habitáculo donde también se podían ver rasgos de la marca (como su volante de un solo brazo en las unidades sin airbag) y en su conducción, gracias a la suspensión hidroneumática de nuevo diseño y más avanzada que nunca. O Citroën XM levou o conforto de condução um passo adiante ao introduzir o controle eletrônico nas famosas suspensões da marca.. Foi o primeiro Citroën a montar suspensões controladas eletronicamente. 

Um desastre que resultou na demissão de toda uma equipe de engenharia

Quando o Citroën XM entrou no mercado, era pioneiro em muitas áreas, como a já mencionada suspensão controlada eletronicamente.. Comparada com outros sistemas, mesmo modernos, a solução utilizada pela Citroën foi uma verdadeira suspensão adaptativa. Além do sistema de gerenciamento eletrônico, foi adicionada uma terceira esfera para cada eixo, que poderia ser “unida” às outras duas ou desconectada, modificando tanto a configuração quanto a constante elástica. Você se lembra do Xantia Activa? Bem, é uma evolução deste sistema Citroën XM. 

Pode ser um tapete voador, com conforto superlativo ou um carro supereficiente, difícil de seguir em uma estrada sinuosa. Um dos melhores kits de suspensão já desenvolvidos, o que também permitiu que o ABS funcionasse excepcionalmente bem alcançando distâncias de parada espetaculares. Equipou também, embora tenha sido o último modelo Citroën a fazê-lo, a direção Diravi, uma direção hidráulica muito especial, que além de autocentrada, modificava a assistência baseada na velocidade e podia funcionar sem ligação direta entre o volante e o volante. rack, embora essa conexão existisse por razões de segurança. 

Foi um compêndio tecnológico para a época, até equipou o primeiro volante multifuncional do mercado ou o motor de arranque codificado, mas isso o levou a ganhar uma fama pouco atraente. O Citroën XM foi o primeiro carro de produção mundial a usar uma instalação elétrica multiplexada, como qualquer carro moderno. O problema não veio do uso dessa instalação elétrica, mas sim dos cortes de custos que foram feitos no sistema elétrico e que afetaram muito os conectores. 

Muitos já sabem como essa história termina. As oficinas da época não estavam preparadas para um carro tão complexo, não tinham o conhecimento nem as ferramentas, enquanto em paralelo os XMs que circulavam nas ruas não paravam de causar problemas. A marca tentou salvar a situação com o restyling de 1995, mas o Citroën XM foi mortalmente ferido e as vendas, em comparação com seus antecessores, foram testemunhais. No entanto, quase 300.000 mil registros foram alcançados, enquanto a equipe responsável pelo desenvolvimento do sistema elétrico foi demitida em bloco. 

Curiosamente, um carro muito popular hoje

Às vezes, inovar é muito caro e o Citroën XM é um exemplo disso. Você não pode tentar surpreender com soluções super inovadoras, se detalhes como conexões elétricas não forem atendidos posteriormente. O fato é que muitos proprietários resolvem esse problema e encontram um carro que pode durar muitos anos, pois a qualidade, para a época, era bastante boa em outros setores como o ajuste da cabine ou dos motores. 

Uma das coisas que é mencionada nos fóruns e que também parece ser uma lenda negra, tem a ver com os copos da suspensão dianteira, que acabam quebrados e com a torre saindo do capô. Mas também os próprios fóruns explicam as razões dessas falhas e enfocam, principalmente, a má manutenção das esferas, atrapalhando sua substituição e montagem. 

Indistintamente, o Citroën XM é um dos últimos Citroën de sua categoria. Mais tarde veio o Citroën C6, outro modelo que preservou a essência da marca em todos os seus segmentos. Depois do C6, o que mais se aproxima desses carros é o DS 9, pelo menos na Europa. E não, a Citroën não vai voltar a oferecer um modelo como este, pelo menos a curto ou médio prazo, pois já tem o Citroën C5 X pronto, um carro um pouco difícil de definir. 

O que você acha?

18 Pontos
Upvote Downvote
Javi Martin

Escrito por Javi Martin

Se você me perguntar de onde vem meu amor por motores, eu não saberia como responder. Sempre esteve lá, embora eu seja o único na família que gosta deste mundo. Meu pai trabalhava como desenhista em uma empresa metalúrgica com muita produção de autopeças, mas nunca houve uma paixão como a que eu posso ter.

Gosto muito da história do automóvel e neste momento estou a criar uma biblioteca pessoal dedicada exclusivamente à história do automóvel em Espanha, sem esquecer as motos que tanto prestaram serviço na nossa "velha" Espanha. Também tenho uma coleção enorme de material digitalizado.

Comentários

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

51kfãs
1.7kSeguidores
2.4kSeguidores
3.2kSeguidores