Vencedor das 6 Horas de Barcelona
in ,

Crônica: 6 Horas Barcelona, ​​nova etapa, mesmo sucesso

Este fim de semana o Espírito de Montjuïc foi celebrado em seu novo formato, atraindo mais uma vez uma multidão de fãs dos clássicos.

Os 6 horas de Barcelona substituíram o Spirit of Montjuïc com uma nova proposta em que foram realizadas corridas de resistência que se realizaram na Montanha Mágica da cidade de Barcelona. Ao todo foram nove corridas e uma exibição espetacular complementada por todas as atividades no paddock.

Discutimos a 10ª edição de um festival que é, por seus próprios méritos, o mais importante de todos os realizados na Espanha. Dois dias intensos e cheios de ação na pista, onde os clássicos se alternaram com os monopostos mais modernos e os carros Racer Cup. Claro que houve quem perdesse alguma competição mais clássica, algo que a organização seguramente tem dado boas notas.

6 Horas de SEAT Histórico de Barcelona

Além disso, a qualidade do entretenimento para toda a família no paddock do circuito já foi fundamental. Sempre com SEATs históricos como apoio fundamental, pois nossa marca mais uma vez montou uma tenda na qual expuseram seus modelos de aniversário. Começando, como poderia ser diferente, com o 1400, que este ano celebra o seu 70º aniversário, e continuando com o Toledo, 1500, Ibiza II ou Córdoba WRC. Como toque final, os carrinhos de pedais que fazem as delícias dos mais pequenos.

A Zona Vintage, com concentrações de clássicos, música ao vivo ou diversas atividades para os mais pequenos, criou uma grande atmosfera festiva no paddock. Esta é uma das marcas do evento que nunca se perdeu, assim como o chance de acertar a pista que os cerca de 300 torcedores que vieram com seu clássico tiveram.

AS 6 HORAS DE BARCELONA

Em relação à corrida do Troféu 6 Horas de Barcelona-Paco Godia, finalmente um total de 16 participantes compareceram. Duas das equipas eram espanholas, inscritas pelo time do barcelona. Carlos Beltrán, Luis Portal e Pablo Tarrero competiram com um Porsche 911 2.0 e Jordi Fanlo, Manel Vilanova e Antonio Cubero com um BMW 325i.

O poste caiu do lado Christophe Laberty e Sébastien Mathieu, que pilotava um Desafio TVR Toscana de 1989. A primeira linha foi completada pelo trio de Dimitri e Boris Bouic e Gilles Boyer, com um Porsche 944 Turbo Cup. Menos de um segundo separava os dois melhores, igualdade máxima, com vários carros atrás também muito próximos.

No domingo foi realizada a prova organizada pela V de V Endurance VHC, que foi extremamente dura para os mecânicos, pois foram contabilizadas até sete desistências. A prova foi dominada desde o início por a equipe Chateaux Sport Auto com seu BMW 635 CSi 1979, que liderou todas as horas. Dessa forma, os franceses Matthieu, Jean-Baptiste e Paul Chateaux venceram com três voltas de vantagem, completando um total de 161 voltas no Circuito de Barcelona-Catalunha.

os segundos acabaram Wassermann e Mathez com outro BMW, no caso, um 323i, com os poles Laberty e Mathieu completando o pódio na mesma volta. Entre os espanhóis, Fanlo, Vilanova e Cubero mal completaram 9 voltas, enquanto Beltrán, Portal e Tarrero terminaram em oitavo.

MARTA GARCIA, DE DULCE

o piloto espanhol Marta Garcia concluído um excelente fim de semana, subindo ao pódio nas três corridas disputadas na Academia de F1, competição reservada às mulheres. Nerea Martí, por sua vez, assinou dois sextos lugares e um sétimo lugar. Na Fórmula Regional Alpine, Lorenzo Fluxá foi quarto na primeira corrida e 11º na segunda. Além disso, a Racer Cup contou com três corridas, duas das quais foram vencidas por Álvaro Vela Rivero e a terceira por Félix Aparicio Rodríguez.

Não podemos terminar esta crónica das 6 Horas de Barcelona sem falar da maravilhoso tributo à exibição de corridas de resistência no tão esperado Circuito de Montjuïc. Uma exposição à altura dos paladares mais exigentes, com até quatro carros que competiram nas referidas provas, bem como objetos e fotografias que o transportaram para aquela época. As mais de 100 imagens foram um hino a um tempo que definitivamente nos parece melhor do que hoje.

Como poderia ser de outra forma, o Ford GT40 conduzido à vitória por Paco Godia e Brian Muir em 1968 Ele chamou muita atenção. Em resumo, um evento que continua a mostrar uma saúde de ferro e que tem conseguido reinventar-se para continuar na defasagem.

Fotografias de Josep María Marcet.

O que você acha?

foto de avatar

Escrito por Ivan Vicario Martin

Tenho sorte de ter transformado minha paixão em minha forma de ganhar a vida. Desde que saí da Faculdade de Ciências da Informação, em 2004, que me dedico profissionalmente ao jornalismo automóvel. Comecei na revista Coches Clásicos em seus primórdios, passando a dirigi-la em 2012, ano em que também assumi a direção dos Clásicos Populares. Ao longo dessas quase duas décadas de carreira profissional, trabalhei em todos os tipos de mídia, incluindo revistas, rádio, web e televisão, sempre em formatos e programas relacionados ao motor. Sou louco pelos clássicos, pela Fórmula 1 e pelas 24 Horas de Le Mans.

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

60.2kfãs
2.1kSeguidores
3.4kSeguidores
3.8kSeguidores