in

Eu amoEu amo SurpresoSurpreso

Dodge Dart alongado: Limousine ou Town Taxi?

É um grande mistério sobre esta unidade, em todos os sentidos. A mutação não era coisa de Barreiros. Os carros saíram da Villaverde como um Dodge Dart GT standard e foram posteriormente alargados por uma empresa externa, uma das muitas que nasceram em torno da SEAT, FASA e da própria Barreiros, entre outras ...

DODGE DART TEXTO LONGO: JAVIER MARTIN / FOTOS: LA ESCUDERÍA

A relação da Espanha com o automóvel é, para dizer o mínimo, turbulenta. Desde o início desta indústria, nosso pele de touro sempre esteve na fila. Boas ideias, mas, salvo exceções honrosas, difíceis de concretizar. Pelo menos em termos de desenvolvimento (não esqueçamos que somos o nono maior produtor de automóveis do mundo), na Espanha estamos um pouco atrás, e poderíamos ser o leite: Imagine se nos esforçássemos tanto para produzir campeões esportivos ...

Autociclo de David de José María Moré, a toda velocidade em La Rabassada, em 1922 (Foto: David; Arquivo: Paco Carrión)

Em todo caso, sempre houve alguém que, de uma forma ou de outra, acertou o prego na cabeça, marcando assim o caminho para outros aventureiros. É o caso de, por exemplo, Mateu ou Armangué, Handymen Hispano-Suiza e David, respectivamente. Muitos desses pioneiros acabaram em ruínas e quase no esquecimento, como Francisco Bonet, mas muitos outros deixaram sua marca na história servindo de pilar para o desenvolvimento da indústria automobilística em nosso país. Certamente é o caso Eduardo Barreiros, um orensiano reconhecido por ninguém menos que o New York Times como um dos homens mais influentes da Europa nos anos 60. 

Pode parecer exagerado, mas nada poderia estar mais longe da verdade. Teve que enfrentar grandes adversidades: a época em que viveu não era das melhores para os industriais que, como ele, seguiam por conta própria. Ainda assim, conseguiu criar um império.

Barreiros e o Dodge Dart, o carro mais luxuoso da Espanha

A história dos Barreiros dá para escrever vários livros e de fato, existem; Acima de tudo, será sempre lembrado por sua versatilidade e por sua ligação com a indústria automotiva. A primeira atividade importante, a dos motores a diesel, foi o verdadeiro sustento da empresa por muitos anos: Famosos são os Barreiros Diesel e, sem ir mais longe, a empresa passaria a ser conhecida como Barreiros Diésel SA Depois vieram os veículos industriais: Caminhões, ônibus, tratores ... E carros em 1963, quando Don Eduardo chegou a um acordo com a Chrysler para trazer para a Espanha o que seria seu carro-chefe, o Dodge Dart, el haiga nacional. Mais tarde, o Simca iria desembarcar. No entanto, este último foi um acordo que infelizmente marcou o início do fim.

A expectativa de Barreiros era vender cerca de 20.000 Dodge por ano, mas acabou colocando 5.000 em quatro. Não deu certo, sofrendo também algumas das unidades com defeitos de fabricação e acabamentos importantes; e os ianques também não cumpriram sua parte do acordo, que era exportar seus caminhões e tratores. O patrão espanhol caiu sob os seus próprios pés e devido ao seu enorme stock, numa armadilha que o levou à falência, a Chrysler comprou um fabricante estabelecido e renovado por meio da recente injecção de 20 milhões de dólares. Querido ou não, uma jogada possivelmente redonda para os americanos.

Dodge Barreiros (Foto: Nacho Sáenz de Cámara)

Visto com perspectiva, e mesmo apesar dos estudos de mercado pioneiros que acompanharam o lançamento do colosso, talvez seja lógico que nem tantas unidades da Dodge Dart. Os americanos certamente pensaram assim e, por isso, aconselharam um lançamento gradual; animado, Barreiros os ignorou. Naqueles anos, o carro mais vendido do mercado era o SEAT 600 (à venda desde 1957), uma máquina muito apreciada por todos os fãs espanhóis e que custava cerca de 60.000 pesetas. Enquanto isso, o Dart normal começou com 240.000 pesetas.

Não é necessário calcular a inflação e convertê-la em euros, o diferença de preço abismal, ainda mais quando o salário médio de um trabalhador naqueles anos era de cerca de 8.000 pesetas. O salão Barreiros foi o veículo mais luxuoso vendido em Espanha na década de 60, sem contar os estrangeiros importados oficialmente ou pelo mercado paralelo.

Dodge 3700 GT alongado
Dodge Dart alongado, ainda maior

El Dodge Dart que os Barreiros fabricavam em Villaverde, Madrid, não era propriamente um carro luxuoso com grande carisma fora de Espanha: O pequenino da firma americana, aqui era quase monstruoso para tamanho e desempenho. Foi um dos maiores carros na estrada, mesmo em comparação com o SEAT 1500, um dos modelos de maior status que se podia comprar na época. E o motor parecia igualmente enorme, com seis cilindros em linha e 3.700 cc, capaz de fornecer até 145 cv. Um valor que posteriormente subiu, em 1969, para 160 cv com o Dodge Dart GT. 

Em 1966, a grande maioria das partes do Dodge Dart Eles foram fabricados na Espanha, conforme exigido pelo regime, reduzindo ao mínimo os dos EUA. Foi a partir deste ano que o Dart de Barreiros adoptou os faróis quadrados e perdeu a banda lateral que ia da frente para a traseira do carro ... 

Limusine Dodge Dart

Dodge Dart GT alongado: que joia! 

Conhecendo a história do modelo, dos próprios Barreiros Diesel e do peso histórico que o dardo espanhol tem, tudo saiu um pouco fora de controle quando o nosso colega Miguel, por simples curiosidade, nos mostrou um anúncio de uma página de venda na que apareceu um estranho Dodge Dart GT. Um modelo de 69 pouco usual. Olhando as fotos e informações, rapidamente chamou nossa atenção: era um salão longo e espetacular, e também relativamente perto de casa. Rapidamente contactámos o seu dono, Manuel Valiente, com a intenção de o irmos ver ao vivo e inspeccioná-lo. 

Quando o dia marcado chegou, as pesquisas sobre a criatura começaram a ocupar nosso tempo. Encontramos um post no Facebook, no perfil da Fundação Barreiros, onde o carro claramente precisava de restauro. Aparentemente, Manuel comprou em 2015 e, em sua oficina Los Yébenes, começou a trabalhar. Nem curtos nem preguiçosos, entramos em contato com a Fundação para obter mais informações a respeito, sem muito sucesso. Conforme discutido abaixo, este carro é um verdadeiro mistério mesmo para os guardiões do legado do patrono.

Dodge 3700 GT alongado

Chegou o dia e partimos. Manuel estava esperando por nós com sua enigmática Dodge dart gt alongado para duas horas de distância. Quando o tínhamos diante de nós não pudemos evitar a surpresa: ao vivo é muito mais impressionante do que nas fotos, e você não consegue parar de pensar no Quão grande seria aos olhos de um pequeno espanhol do final dos anos 60. Ainda hoje, acostumado a carros enormes, este Dart é grande e comprido, muito comprido. As linhas retas que os designers americanos deram têm muito a ver com isso, já que toda a linha lateral é paralela ao solo e uma dobra que sai do indicador de direção na asa dianteira reforça a imagem de uma máquina infinita. 

Enquanto tirávamos as rigorosas imagens nos perdemos em sua cabine, captando detalhes e curtindo aquele cheiro que só os "carros velhos" têm. Entretanto, seu dono estava nos contando curiosidades: Ao que parece era num prado, onde um amigo o encontrou e deu a Manuel, que o pôs em ordem, também administrativamente. Seu primeiro dono era desconhecido e havia apenas lacunas na história, então havia trabalho pela frente.

Dodge 3700 GT alongado

O ITV, por exemplo, traz muitos inconvenientes para reabilitá-lo, uma vez que o alongamento não estava no registro histórico. Isso porque, pelo que sabemos, naqueles anos, quando se fazia uma transformação desse tipo, ela se fazia, ponto; Não foi anotado na ficha técnica, nem foi homologado, foi simplesmente feita a transformação e o carro circulou sem mais delongas. 

Obviamente, isso também significa que a mutação não era coisa de Barreiros. Os carros deixaram Villaverde como um Dodge dart gt padrão e foram posteriormente alargados por uma empresa externa, uma das tantas que surgiram em torno da SEAT, FASA e da própria Barreiros, entre outras. Essa foi uma das contribuições mais importantes das marcas para o cenário automobilístico nacional: A criação de uma indústria auxiliar composta por uma multidão de pequenas e médias empresas industriosas que compunham o tecido do automobilismo industrial espanhol.

Limusine Dodge Dart

Limusine, táxi urbano ou outra coisa?

Voltando ao nosso dardo alongado, tínhamos que tentar descobrir que corpo ou oficina realizava a modificação, ainda mais quando Manuel afirmou que se tratava de um exemplo único. A Fundação Barreiros tentou nos ajudar, mas não tinha nada no arquivo. No entanto, eles consultaram especialistas externos: Aparentemente, Os Dodge foram comprados baratos de segunda mão porque desvalorizaram muito, indo para as mãos de muitos taxistas que, nas aldeias, as compravam para as ampliar e oferecer um melhor serviço ao poderem acolher uma família inteira. E atestamos isso, o espaço atrás é muito grande e tem bancos adicionais que podem ser dobrados, transformando a cabine em uma limusine. Eles também eram carros muito populares entre as gangues de touradas. 

Porém, este tipo de trabalho foi realizado com as versões básicas, as mais baratas, e neste caso é uma versão 69 GT com estofamento de qualidade certamente em todos os seus bancos, madeira no painel e console central.… Além disso, ele usa carimbos em seu pára-brisa por ter viajado por toda a Europa. Poderia ter sido efetivamente o carro de uma turma de touros ou o capricho de um espanhol com dinheiro suficiente para realizar a compra e transformação do carro com vistas a percorrer o continente. Não sabemos. Nem conseguimos saber exatamente qual empresa ou indivíduo foi responsável pelo alongamento.

Limusine Dodge Dart

Por outro lado, a fonte da Fundação Barreiros fala de uma oficina denominada “Carrocerías Villamil”, estabelecimento que também realizava este tipo de transformação sobre uma base Chrysler 180 ou SEAT 132. Por nossa parte, encontramos outro nome, “Carrocerías Paulino Moreno”, mas não podemos afirmar que esta empresa foi a responsável pela modificação. Finalmente, não fomos capazes de confirmar se é uma única unidade, mas estamos inclinados a pensar que, se não em seu estilo, e levando em consideração que foram feitos à mão, sim, é único em si mesmo. 

Por outro lado, podemos creditar seu ótimo estado após restauração e afinação realizada. Na verdade, por baixo da sujeira e do desgaste da tinta, e amém de certas áreas corroídas, tudo era bastante original. E vai bem. Desta vez não nos sentamos ao volante, mas o Manuel deu-nos uma boleia que ele Dodge Dart aproveitou para testemunhar porque era um carro superlativo na Espanha nos anos 60. O colosso move-se com notável facilidade apesar da sua idade e tamanho, com uma suspensão que dá a sensação de estar puxando forte (efeito das bestas), mas que oferece bom conforto e boas maneiras. O som do motor também chama a atenção pela falta de filtros e, sobretudo, porque permite circular no trânsito atual com total normalidade.

Limusine Dodge Dart

Assim, é possível entendermos o que o Dodge Dart de Barreiros significava na época, rodeado de carros como o já citado SEAT 600, Renault 10, Citroën Dyane 6 ... Veículos com benefícios contidos e motores de não mais de 60 HP, contra um monstro de 160 HP em suas últimas versões, capaz de ultrapassá-los apenas usando a potência bruta do seu motor. E se também era uma unidade alongada, certamente olhares de admiração estavam na ordem do dia.

* Agradecemos a Manuel Valiente pela disponibilidade para a realização deste relatório. Por outro lado, informamos que ele tem esse Dodge à venda. Vamos ver se todos nós podemos encontrar um pai para ele!

O que você acha?

22 Pontos
Upvote Downvote
Javi Martin

Escrito por Javi Martin

Se você me perguntar de onde vem meu amor por motores, eu não saberia como responder. Sempre esteve lá, embora eu seja o único na família que gosta deste mundo. Meu pai trabalhava como desenhista em uma empresa metalúrgica com muita produção de autopeças, mas nunca houve uma paixão como a que eu posso ter.

Gosto muito da história do automóvel e neste momento estou a criar uma biblioteca pessoal dedicada exclusivamente à história do automóvel em Espanha, sem esquecer as motos que tanto prestaram serviço na nossa "velha" Espanha. Também tenho uma coleção enorme de material digitalizado.

Comentários

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

50.6kfãs
1.7kSeguidores
2.4kSeguidores
3.2kSeguidores