in

Estes foram os carros da família Alcántara em Cuéntame

Coincidindo com o final da lendária série Cuéntame, analisamos os carros que a família mais famosa da TVE teve ao longo de todos estes anos no ar.

Foi transmitido por vinte e dois anos. Cuéntame as televisões espanholas uma vez por semana. Em tantas temporadas desta série, grande parte da história do século XX foi revisada, começando em abril de 1968 e terminando em setembro de 2001. 

Trinta e três anos de intra-história em que Os espectadores reviveram os principais acontecimentos históricos do século passado, e foi possível perceber as muitas mudanças nos personagens, no próprio bairro de San Genaro e na própria sociedade. 

Os carros tiveram um papel muito importante na série e como em qualquer família Os carros de Alcántara marcaram e foram um reflexo da sua época e da situação pessoal do clã, é por isso que revisamos alguns dos mais importantes. 

Poderíamos listar muitos outros carros que tiveram protagonismo na série, como o Dodge 3700 GT de “Desi”, o Citroën ID e o táxi Renault 12 de Miguel Alcántara, mas para esta lista decidimos focar nos veículos mais relevantes do casamento de Alcántara. 

ASSENTO 800

Tal como a grande maioria das famílias espanholas dos anos sessenta, Os Alcántara eram motorizados a bordo de um 600, ou pelo menos um dos seus derivados. el 800. Com cerca de 18.000 unidades fabricadas, poucos puderam optar por esta variante de quatro portas exclusiva do mercado espanhol do nosso popular “Seilla". 

Para os fãs mais incondicionais da série e do mundo motorizado, ficarão satisfeitos em saber que 800 das primeiras temporadas da série continuam rolando por Madri, e pode ser visto de vez em quando em algum rali de carros clássicos. 

ASSENTO 850

O 600 democratizou o automóvel em Espanha, e o próximo passo para a SEAT foi estabelecer um produto de gama média que fosse muito mais acessível do que o proibitivo 1500. O segundo automóvel do Alcántara foi um 850, produto intermédio do catálogo da marca durante grande parte dos anos 60 e 70., que como o 800, era de suas quatro variantes que Foi fabricado apenas na Espanha. 

CITROËN GS BREAK

Aos poucos a família progrediu e Um exemplo de sua melhor situação econômica foi a compra de uma perua Citroën GS., que entre os carros de gama média disponíveis em Espanha era um dos mais modernos e peculiares, devido à sua suspensão hidropneumática que o tornava único na sua categoria. 

Mercedes W114

O carro mais exclusivo e o primeiro carro importado que a família Alcántara teve foi um Mercedes W114 que compraram em 1976., um sinal de que as coisas iam muito bem, já que estes carros estavam ao alcance de poucos em Espanha. É um dos carros mais lembrados pela cena em que, com muita dor, Antonio se despede de sua Mercedes, com um nó na garganta que todos os fãs do mundo automobilístico sentem. 

CITROËN BX

A experiência da família Citroën GS deve ter sido muito satisfatória, pois alguns anos depois optaram pelo carro que a substituiu no mercado, o BX. É aí que surge um dos erros automotivos da série, já que os Alcántaras compraram o carro em 1983, embora a sua comercialização só tenha começado em Espanha em 1984. Mesmo sendo um modelo supostamente importado, o carro era da segunda fase, então isso não corresponderia ao ano de aquisição. 

BMW SÉRIE 5 (E28)

O outro carro da família durante grande parte da década de oitenta, e um sinal de que a situação económica melhorou, foi um novíssimo BMW Série 5 da segunda geração do modelo, o E28, que foi seu segundo carro alemão, e também bastante exclusivo durante aquela década. 

JIPE WRANGLER

Já com os olhos postos nos anos noventa A família mudou para carros americanos com um verdadeiro veículo off-road, um Jeep Wrangler., outro modelo exclusivo que exigia elevados gastos financeiros e estava ao alcance de poucos em Espanha. 

O que você acha?

foto de avatar

Escrito por javillac

Essa coisa sobre carros vem desde a infância. Quando as outras crianças preferiam a bicicleta ou a bola, eu ficava com os carrinhos de brinquedo.
Ainda me lembro como se fosse ontem um dia em que um 1500 preto nos ultrapassou na A2, ou da primeira vez que vi um Citroën DS estacionado na rua, sempre gostei de pára-choques cromados.

Em geral, gosto de coisas de antes de eu nascer (alguns dizem que estou reencarnado), e no topo dessa lista estão os carros, que, junto com a música, fazem a combinação ideal para um momento perfeito: dirigir e trilha sonora de acordo com o carro correspondente.

Quanto aos carros, gosto de clássicos de qualquer nacionalidade e época, mas meu ponto fraco são os carros americanos dos anos 50, com suas formas e dimensões exageradas, e é por isso que muitas pessoas me conhecem como "Javillac".

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

60.2kfãs
2.1kSeguidores
3.4kSeguidores
3.8kSeguidores