in

Tentamos encontrá-lo na Espanha, Peugeot 504 Break Riviera Pininfarina

Os corpos de Shooting Break têm uma legião de seguidores tão breves quanto fiéis. Algo que está totalmente alinhado com a sua própria história, sempre recorrente na história do carro, embora raramente refletido em modelos de grandes séries. Nesse sentido, a Pininfarina tentou convencer a Peugeot em 1971 sobre a possibilidade de fabricar tal carro a partir do 504 Coupé. O resultado disso foi o protótipo Break Riviera. Descartado pela marca e vendido -supostamente- a um espanhol no mesmo ano na Feira de Barcelona. Depois de anos perdidos, agora sabemos que ele está na Espanha, mas onde? Vamos tentar encontrá-lo.

Do Volvo 1800ES ao Ferrari FF, passando pelo BMW Z3 Coupé ou pelo Aston Martin Vanquish Zagato, as carroçarias Shooting Break têm sido tão raras quanto recorrentes. Definidos por sua curiosa mistura de coupé e station wagon, eles nasceram antes mesmo da Segunda Guerra Mundial. Tentando conciliar o caráter esportivo de um veículo de duas portas com o amplo espaço de carga de um veículo familiar equipado com uma grande porta traseira. Assim, embora seja raro encontrar carros de grandes séries com esse design, não é incomum vê-lo em certas variantes de curto prazo feitas em modelos esportivos. Além disso, indo para o mundo das peças únicas, o Shooting Break aparece de vez em quando como exercícios de estilo de vários construtores de carrocerias.

De fato, aproveitando os benefícios aerodinâmicos de suas traseiras de corte estilo Kammback, eles foram objeto de alguns estudos sobre como diminuir o coeficiente de arrasto. Um exemplo disso é o Fiat Dino V6 Parigi. Um dos protótipos criados por Paolo Martin para a Pininfarina durante os testes realizados em seu túnel de vento nos anos sessenta. Uma pausa de tiro bastante manual cujas linhas fazem parte do processo de pesquisa responsável pela aerodinâmica do Citroën GS e CX. Nesse ponto, analisando os modelos com esse tipo de carroceria criados pela Pininfarina, destaca-se o Peugeot 504 Break Riviera de 1971.

Um exemplar único oferecido pelo designer italiano à marca do leão. Cujo rastro nos leva a um processo labiríntico inacabado que parece nos levar à Península Ibérica. Obviamente, antes de ativar o alerta de pesquisa, é melhor nos colocarmos no início. Desta forma, a história do Peugeot 504 Break Riviera começa nos anos sessenta. Especificamente em 1968, ano em que chega ao mercado o Peugeot 504. Um modelo do segmento D em cuja concepção a Pininfarina interveio ativamente. Tendo sido Aldo Brovarone quem deu os retoques finais aos esboços recebidos da fábrica de Sochaux.

Desta forma, a aliança entre as duas empresas foi renovada. Começou quando em 1960 o Peugeot 404 se tornou um dos alunos mais destacados na aplicação da chamada Linha Florida. O conceito estabelecido pela Pininfarina anos atrás graças ao protótipo Lancia Flórida, sendo responsável por uma das maiores mudanças de paradigma no design de sedãs. Não obstante, a oferta do fabricante francês neste segmento carecia de um modelo para gerar uma imagem de marca mais atrativa. Algo mais desportivo e elegante mas com o mesmo grau de fiabilidade. Por todas estas razões, o Peugeot 1969 Coupé foi apresentado no Salão Automóvel de Genebra de 504.

Modelo cupê de 1969

PEUGEOT 504 BREAK RIVIERA, A VOLTA DO PARAFUSO DA PININFARINA

Assim que as linhas do 504 Coupé foram reveladas, tanto a Peugeot quanto a Pininfarina perceberam que acertaram o alvo. Proporcional, fluido e clássico desde o nascimento, este continua a ser um dos designs mais celebrados do construtor italiano de carroçarias e, provavelmente, o Peugeot visualmente mais atraente de todos os tempos. Graças a isso, a marca francesa finalmente teve um modelo capaz de melhorar sua imagem. Ainda mais quando, a partir de 1974, passou a ser oferecido com um V6 muito mais potente que o 1,8 original e dois motores de 2 litros com 90CV e 104CV respectivamente.

Com tudo isso, as vendas do cupê foram muito satisfatórias. Em produção até a década de 1978, além de vencer vários ralis internacionais, incluindo o Safari de 504. Em suma, o Peugeot XNUMX Coupé havia sido um sucesso absoluto. Além disso, recentemente reivindicado pela própria marca através do acenos feitos ao seu design pelo protótipo e-Legend. Graças a tudo isso, o clima de otimismo gerado em torno do modelo fez com que a Pininfarina quisesse dar mais uma reviravolta.

Fato que aconteceu em 1971 com a apresentação do Peugeot 504 Break Rivera no Salão Automóvel de Paris. Construído à custa e risco do designer, este protótipo procurou seduzir a Peugeot tendo em vista uma possível produção em massa. Algo que não seria nada mau, pois significaria uma variante Shooting Break semelhante à que a Volvo ofereceria apenas um ano depois do seu coupé 1800. Que, aliás, ultrapassou as 8.000 unidades nos seus dois primeiros anos no mercado. Uma razão convincente para aumentar a sucesso comercial mais do que possível do qual o Peugeot 504 Break Riviera poderia ter sido o protagonista. No entanto, deixando de lado as especulações, a única certeza é que a marca francesa preferiu ignorar o projeto Pininfarina. Saindo assim desta unidade perambulando pelas feiras como um show car.

UM DESIGN MAIS CUIDADOSO DO QUE VOCÊ IMAGINA

Para produzir o Peugeot 504 Break Riviera, a Pininfarina partiu de uma unidade com motor de 1,8 litro. Ponto de partida da transformação, focado na parte traseira para criar o final em forma de Shooting Break. Muito limpo de lado graças aos pilares centrais concisos, seu design proporcionou uma grande superfície envidraçada fluindo livremente graças às leves ondulações da roda traseira. Além disso, os vidros traseiros podiam se mover na forma de um slider para abrir o habitáculo à circulação de ar.

E é que Pininfarina cuidou de muitos detalhes de conforto no Peugeot 504 Break Riviera. De fato, os assentos são diferentes do modelo padrão para garantir uma melhor posição. Além disso, o desejo de melhorar os acabamentos em relação ao modelo de 1969 incluiu a inclusão de um tapete capaz de isolar contra o calor e o ruído de rolamento. Se somarmos a isso o painel de instrumentos revestido de material antirreflexo, os furos para objetos no porta-malas e os vidros elétricos, temos um trabalho muito cuidadoso.

Mesmo tentando tirar o máximo proveito da carroceria do Shooting Break, este 504 incluiu alguns bancos traseiros rebatíveis para aumentar o plano de carga. Desta forma, o Riviera combinou a praticidade de uma station wagon ou família com o estilo esportivo de um modelo com entre-eixos mais curto do que o oferecido pelo sedã e estética claramente atraente.

SEGUINDO A TRILHA CHEGAMOS À ESPANHA

Como vimos, apesar da interessante oferta feita pela Pininfarina, a possibilidade de levar o Peugeot 504 Break Riviera para a série foi finalmente descartada. Assim, e investigando através de fotografias da época, podemos deduzir que o designer italiano o utilizou como modelo expositivo em seus espaços, pelo menos no Salão de Paris e na Feira de Barcelona. De fato, todas as indicações apontam para o facto de estar ali mesmo, na sua edição de 1971, quando um proprietário espanhol o assumiu. Exatamente da mesma forma e maneira experimentada por outro protótipo: o BMW 2800 GTS projetado por Pietro Frua e recentemente restaurado pelo BMW Group Classic.

Mais uma daquelas peças únicas vendidas por carrocerias nessas feiras livres, principalmente, de impostos de importação. A partir daqui, o Peugeot 504 Break Riviera perde o rumo embora, curiosamente, algumas de suas fotos promocionais são possivelmente feitas na Espanha. Especificamente em Almeria. Sendo reconhecíveis alguns cenários preparados para filmes de faroeste da mesma forma e maneira que os dispostos no deserto de Tabernas.

Seja como for, a verdade é que se passaram décadas em que esse protótipo não pode ser rastreado em lugar nenhum. Essa situação mudou quando, em uma reunião temática da Peugeot realizada em 2008, alguns torcedores na Holanda se perguntaram onde ele estava. A partir daqui, os membros do Peugeot Club Nederland começaram a busca pelo Peugeot 504 Break Riviera até encontrá-lo em 2019 em uma coleção particular na Espanha. A este respeito, pudemos ver algumas fotografias do seu estado atual. Aparentemente em bom estado, embora sem o estofamento original. Que foi substituído por um azul escuro.

Além disso, apenas nos garantem que o misterioso proprietário estava aberto à venda, embora devido à chegada do Covid19, as consultas desses fãs foram estacionadas. Neste ponto, sabemos pelo menos duas coisas. A primeira é que o Peugeot 504 Break Riviera está preservado e, além disso, aparentemente bem conservado. A segunda é que está localizado em um local não especificado na Espanha, a menos que tenha sido vendido a um estrangeiro desde 2019 até esta parte. Assim, encontrá-lo seria um excelente achado para valorizar um dos Shooting Breaks mais interessantes de todos os criados no século XX. Chegaremos a um bom final com nossas investigações? Quem sabe, mas se você tiver a menor pista e quiser compartilhá-la conosco, teremos o maior prazer em ouvi-lo.

Imagens: Pininfarina

PD De acordo com os dados fornecidos pela Pininfarina, apenas uma unidade foi feita do Peugeot 504 Break Riviera. No entanto, revisando fotografias, aparece às vezes uma unidade de cor marrom, exibida em várias concentrações recentes de clássicos. Registrado e aparentemente em uso, obviamente levantou algumas dúvidas em nós, pois não se encaixa na história contada por Pininfarina. No entanto, tendemos a pensar claramente que é uma cópia feita por um determinado fã. Já que, inclusive, não possui o típico escudo de encarroçador localizado logo na frente das rodas traseiras.

O que você acha?

foto de avatar

Escrito por Miguel Sánchez

Através das notícias de La Escudería, percorreremos as sinuosas estradas de Maranello ouvindo o rugido do V12 italiano; Percorreremos a Rota 66 em busca da potência dos grandes motores americanos; vamos nos perder nas estreitas pistas inglesas rastreando a elegância de seus carros esportivos; aceleraremos a frenagem nas curvas do Rally de Monte Carlo e até ficaremos empoeirados em uma garagem resgatando joias perdidas.

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

60.2kfãs
2.1kSeguidores
3kSeguidores
3.8kSeguidores