in

Retromobile Paris: Chronicle

FOTOS RETROMÓVEL PARIS 2020: UNAI ONA

Para muitos especialistas Retromobile Paris É a referência quando falamos de clássicos da alta classe. E com certeza é verdade. Porque embora o nível em Essen ser muito alto, a paixão dos fãs contagia em Pádua e um som verdadeiramente envolvente ao assistir carros esportivos rolando na pista Goodwood… O fato é que no Retromobile Paris sempre há várias máquinas, muitos deles peças únicas.

Nesse sentido, resumir o que se vê ali é um grande desafio até mesmo para o redator mais acostumado ao estilo telegrafista. Por isso, acreditamos que é melhor começar por cima e, a partir daí, ir descendo. Portanto, a escolha é realmente complicada, então usaremos o instinto pessoal em vez da lógica industrial. Nossa escolha é a Ferrari 412T2 com o número do chassi # 157 ...

Por quê? Bem, quem segue as postagens de A Escuderia você já sabe que por aqui somos bastante mitomaníacos. E no final do dia este carro É a primeira Ferrari dirigida por Michael Schumacher. O protagonista de uma manhã épica na pista de Fiorano, para a qual viajaram mais de 2.000 Tifosi para ver as habilidades ao volante daquele que viria a ser o novo herói da Scudería após a sua saída abrupta da Benetton.

O alemão tinha apenas 26 anos, mas o caso de amor entre os torcedores, a equipe e o piloto foi imediato após apenas sete voltas de exibição. Os testes com a F310 começaram imediatamente para a temporada de 1996. Um ano difícil para a Scuderia, mas graças àquela manhã de abertura com o 412T2 da temporada anterior, foi o início dos grandes tempos de que todos nos lembramos. De qualquer forma, você poderia dizer que isso não é pura história do automobilismo?

Uma história colocada em leilão por londrinos Girardo & Co para ... O que isso importa? Com essa narrativa por trás, é de muito mau gosto falar de dinheiro. Claro, o que fica claro é que no Retromobile Paris as operações bancárias têm sido substanciais, com destaque para os lotes movimentados pela Artcurial, Bonhams e RM Sotheby's.

OS LEILÕES ESPERADOS DO RETROMÓVEL DE PARIS

A casa francesa Artcurial foi presenteada com um grande catálogo onde uma Ferrari 275GTB se destacou com pedigree em mais de 40 corridas internacionais da época. Mas o mais marcante foi o espetacular Mercedes-Benz 710 SS Sport Tourer de 1929. Pai do lendário esporte SSK, seu motor de seis cilindros em linha de 7 litros desenvolve grande força montado em um chassi relativamente curto para tal modelo na época.

Mercedes 710 SS. Foto: Artcurial

Uma joia da engenharia alemã. A propósito, a coisa da SS não tem nada a ver com ... Você sabe. Esses chegaram ao poder quatro anos depois. A casa de RM Sotheby's veio a Retromobile Paris com outro museu sobre rodas, dentro do qual destacaremos um daqueles carros que poucos fãs podem se opor: o J-D-Type. Especificamente o número 17 em sua linha de produção.

E já na farinha da paixão, é hora de destacar o leilão de um veículo que desperta paixões por essas partes. E é que Bonhams escolheu um Pegaso Z-102 cabriolet de 1953 para o leilão de ontem.

retromóvel paris 2020
Esperando o leilão na quinta-feira. Pegasus Z-102

Este "pegasina”Corporado por ENASA montar um motor de 2'8 litros, uma das que já eram mais potentes em relação aos primeiros dois litros e meio, embora menos que os 3,2 que tinham no final da década. A estimativa é de cerca de um milhão de euros e finalmente foi vendido por 713.000 mil.

CELEBRAÇÕES FRANCESAS: RENAULT E CITROËN

Em nosso pensamento lúbrico como Meseteño provinciano, um "Celebração francesa" Parece-nos um país que se reúne com queijos, vinhos, remadores bêbados e duas louras sem noção. Felizmente, a realidade não para de levar nossa razão todos os dias, então a participação de gala de maior destaque no Retromobile Paris foi limitada aos espaços da Renault e Citroën. A marca Chevron ainda está digerindo a ressaca do seu centenário em 2019. No entanto, este 2020 já foi lançado em comemoração 50 anos do GS.

Concebido como uma versão acessível dos avanços de alto padrão apresentados no Tiburon, este salão de classe média ainda é um dos grandes ícones da marca. Obviamente, devido à sua suspensão hidropneumática mágica capaz de rolar em apenas três rodas, mas também por ter marcado o caminho para o segmento dos salões médios. Muito para lembrar seus motores de cilindro oposto, famosos por sua suavidade e confiabilidade.

Em relação à Renault ... Temos que ir por peças. Olhando para a amostra da racionalidade fria do editor de notícias, a coisa mais notável é uma Tanque Renault-Riffard a partir de 1956, leiloado pela Artcurial. Uma compota interessante de componentes de marca, tendo tirado seu eixo traseiro de uma perua Juvaquatre e seu motor de um popular 4 CV. O resultado é este pequeno carro esportivo de corrida, equipado com um estudo aerodinâmico geométrico e primitivo. Tão excitado quanto saiu da mente de um designer da Bauhaus.

Agora, olhando para a seleção da Renault para este Retromobile Paris do lado mais pessoal ... Admitimos que amamos o Modelo norte-americano do Renault Fuego Turbo de 1980. Muito anos oitenta este carro desportivo com autocolantes Turbo nas laterais. Como uma música diz sobre seu rival, o Ford Capri "Os ídolos da vizinhança o carregavam." Entendendo, neste caso, a palavra ídolo por sinônimo de cafetão. O charme discreto dos subúrbios, você sabe. Coisas de nosso "Pensamento lúbrico de um meseteño provinciano."

DE VOLTA COM A LINHA RETA: AMOSTRA DE BERTONE

Agora Bertone faz parte da FIAT, o que foi feito em 2009 com as suas instalações em Grugliasco. No entanto, desde 1912, este encarroçador italiano tem sido responsável por muitos projetos inovadores. Além disso, para nós, Bertone tem sido o complemento perfeito para Zagato. E sim, calma que vamos explicar essa teoria agora. Para começar, reconheceremos que, segundo o critério que bate nas teclas com que se escreve o que está lendo, o designer italiano de referência é Pininfarina.

Modelador, proporcional, inteligente ... Seus lápis quase sempre acertam no alvo. Mas, no entanto, essa é sua principal falha. Por quê? Bem, porque, de vez em quando, um fora de tom repulsivo é sempre bom. Algo em que Bertone e Zagato se movem muito bem. Claro, enquanto o segundo faz isso por meio de linhas curvas e musculares como seus telhados de "Bolha dupla"… O primeiro foi mais inclinado a fazê-lo por meio de geometrias de linha reta ousadas.

Para prová-lo, uma curiosa seleção de 10 protótipos Bertone se reuniu no Retromobile Paris. Um idílio cubista onde você pode se perder entre os ângulos de modelos como o Chevrolet ramarro, o Ferrari Rainbow ou Citroën zabrus. Além dessa tríade, existe um modelo específico que está causando considerável confusão: o Volvo tundra. E é que, visto sem conhecer sua história, passa totalmente a ser o protótipo do Citroën BX. Bem, na verdade era, mas vamos passo a passo.

retromóvel paris 2020
Lamborghini Genesis V12 e Volvo Tundra

Entrando na década de 300, a Volvo queria dar uma guinada radical à estética de sua indefinida série 1973. Para isso, recorreu aos serviços de Marcelo Gandini em XNUMX. Mas, cara, o italiano tirou o do "Mudança na estética da marca" que, de acordo com os critérios conservadores dos suecos, era decididamente mais frenagem. Por ele em 1979, o projeto Volvo Tundra foi rejeitado. Claro, sem ter estabelecido cláusulas claras no contrato sobre a quem esse projeto pertenceria.

Algo que eles aproveitaram os malandros italianos para ir com o protótipo para a Citroën, que já estava pensando em um sucessor para o GS. Seguindo o instinto típico da marca por inovação estética, os franceses ficaram maravilhados com o que poderia ter sido um Volvo. É por isso que o Tundra passa, perfeitamente, por um carro-conceito Citroën até ... Você se aproxima da frente e percebe o logotipo da Volvo bem na entrada de ar do radiador. Oh surpresa!

Além dessas histórias típicas de um ragman envolvido em um grande industrial, a exposição Bertone realizada no Retromobile Paris destaca o Lamborghini Genesis 1988. Uma espécie de minivan futurista que lembra a versatilidade dos de Sant'Agata: conseguiram fazer o Miura, piscaram para os SUVs com o LM0002, flertaram com minivans ... E tudo isso ao mesmo tempo fazendo tratores. Aliás, falando em tratores, vale a pena dar um passeio pela exposição de equipamentos agrícolas da Porsche.

PRESENÇA CHECA: 125 ANOS DE SKODA E TATRA SHOW

As origens de Skoda parecem saídas de um filme com um script pastel e satisfeito consigo mesmo. E tenha cuidado, porque não falamos como algo ruim. Filmes como esse costumam ser necessários, do tipo que te deixa feliz e simplifica o dia. De qualquer forma, Woody Allen tem feito isso há quase 20 anos e não perdemos nenhum. E que às vezes, para reafirmar seu toque peculiar de escrita pastel, coloque alguns filtros de luz que parecem ter sido retirados de uma joia com muito ouro. O mesmo material que cobre o Rolls Royce Silver Cloud II de 1961 com o qual terminaremos o artigo.

Avanços à parte, voltemos à nossa história. Tudo começou há 125 anos, quando um jovem livreiro do então Império Austro-Húngaro não conseguia encontrar as peças necessárias para consertar sua bicicleta. Solução? Ele saiu da livraria e abriu uma empresa para construir seus próprios pedalinhos. Isso se chama ser determinado, sim senhor. De lá, Skoda foi gerado, que a Hispano-Suiza fabricava sob licença e posteriormente se tornou uma das grandes marcas do bloco oriental.

Na Retromobile Paris, vários modelos da marca foram reunidos, destacando-se um com pedigree nas 24 Horas de Le Mans. Sim, sonho de muitos pilotos, mas sobretudo de qualquer editor, pois aqui há histórias tão curiosas como a de Václav Bobek e Jaroslav Netusil. Dois pilotos experientes que em 1950 foram plantados com uma barchetta derivada do Skoda 1101 de 1939 na linha de partida da corrida de resistência antomasia. Algo realmente estranho devido tanto ao clima político da Guerra Fria quanto ao retrocesso da tecnologia do carro.

retromóvel paris 2020
O Skoda 1101 das 24 Horas de Le Mans

No entanto, esses homens do Leste suportaram 13 horas até que uma falha de motor os forçou a recuar. Uma desistência que tem sido permanente até as próximas 24 Horas de Le Mans 2020, à qual a Skoda retornará após sua ausência desde aquela participação em 1950. Continuando com a história do motor feito na República Tcheca, a Retromobile Paris apresentou um shows de tatra interessantes.

Uma empresa ainda mais antiga que a Skoda, pois tem suas raízes na fabricação de vagões em 1850. Uma longa história que a levou a sobreviver até hoje fabricando caminhões e SUVs. Claro, depois de um tempo de controle pelo governo comunista de Praga, no qual criou alguns dos carros mais incríveis da esfera soviética. Em primeiro lugar pelos seus designs, que foram contagiados pela vanguarda dos anos 30 e pela febre espacial. Claro, de uma forma um pouco mais dura do que os americanos também são infectados pela mesma euforia da ficção científica.

retromóvel paris 2020
T603

Esta era Tatra é especialmente bem representada pela T603, um verdadeiro carro-chefe reservado apenas para altos cargos políticos. Um veículo feito à mão mas… também refeito! E é que quando você queria cancelar um desses modelos, ele não ia para o ferro-velho, mas voltou à fábrica onde, no mesmo chassis, foram incorporadas as melhorias típicas da última atualização do modelo. Algo que, obviamente, hoje seria incompatível com uma grande produção em série.

MITOMANOS DE CINÉFILAS E LE MANS

Chegados a este ponto Você não pode imaginar o número de referências que nos foram deixadas no tinteiro. Mas, por fim, hoje não usaremos apenas a desculpa de que não queremos aborrecê-lo com um longo artigo, mas também de que a Retromobile Paris até fechou suas portas no final deste texto. No entanto, antes de terminar esta análise das amostras mais destacadas da edição atual, queremos rever dois modelos que nos cativaram desde o primeiro minuto.

O primeiro é um Bugatti. Bem, na verdade três. E é que não podemos deixar de incluir aqui os dois únicos EB110s de competição. Dois sortudos que tiveram a chance de correr tanto no campeonato americano IMSA quanto em Le Mans. Infelizmente, no seu regresso à corrida francesa após 55 anos de ausência, o EB110 da Monaco Racing Team foi contra as protecções a meio da recta de Mulsanne. Uma metáfora e tanto para a ruína dos negócios que estava por vir.

retromóvel paris 2020
As duas corridas Bugatti EB100

No ano seguinte, em 1996, a corrida nem foi alcançada depois de quebrar o chassi de fibra de carbono com um impacto durante o treino. Assim as coisas, Bugatti acabou fechando a porta até ser resgatado por Ferdinand Piech para ser a joia do grupo Volkswagen. Enfim, um carro maravilhoso; uma história cheia de desconforto. Porém, o clássico da marca que mais nos chamou a atenção pertence aos seus tempos clássicos e áureos: é o Digite 55 de 1931.

E que coincidência, ele também participou das 24 Horas de Le Mans! Embora também não os tenha terminado devido a ficar sem combustível, foi para a quinta posição. Enfim, aqueles tempos sem engenheiros de trilha aguardando cada detalhe ... Aliás, um dos dois pilotos foi Louis Chiron. O mítico "motorista cavalheiro”Monegasco tão apegado à história da Bugatti que um dos modelos mais recentes da marca foi batizado em sua homenagem.

E agora vamos com a última referência. Aquele que anunciámos antes de nomear o ouro que cobre parte do seu corpo. Um carro tão bonito quanto cafona. Porque embora o Rolls Royce Silver Cloud seja uma das alturas da qualidade automotiva ... Pintá-lo em ouro com banho de ouro nos faz passar rapidamente do requintado bom gosto britânico ao kitsch típico de aprendizes galantes latinos, xeques petrodólares e outros magros com excessos dinheiro e tempo livre.

Foto: Artcurial

Mas ... oh! Se a pessoa responsável por tal pintura em este Rolls Royce é Zsa Zsa Gabor, e seu executor George Barris, Não temos escolha a não ser calar a boca e dizer: "Me parece correto”. Até que em um trecho final de sua vida, muito parecido com Gloria Swanson em Twilight of the Gods de Billy Wilder, ela cometeu operações de botox e nariz ... Seu colírio foi um dos melhores do cinema dos anos 50. Uma beleza intrigante que se encaixa perfeitamente em Sed de Mal, o maravilhoso capítulo final do clássico filme noir de Hollywood assinado por Orson Welles.

Definitivamente acreditamos que, contradizendo o que dissemos no início deste artigo sobre a Ferrari 412T2, vamos manter este Rolls Royce como nossa escolha pessoal particular do Retromobile Paris 2020. Do ponto de vista da história pura do motor pode não fazer muito sentido, mas ... Em algum ponto do texto já mencionamos que somos especialmente mitomaníacos. Verdade?

O que você acha?

Miguel Sánchez

Escrito por Miguel Sánchez

Através das notícias de La Escudería, percorreremos as sinuosas estradas de Maranello ouvindo o rugido do V12 italiano; Percorreremos a Rota 66 em busca da potência dos grandes motores americanos; vamos nos perder nas estreitas pistas inglesas rastreando a elegância de seus carros esportivos; aceleraremos a frenagem nas curvas do Rally de Monte Carlo e até ficaremos empoeirados em uma garagem resgatando joias perdidas.

Comentários

Assine o boletim informativo

Uma vez por mês em seu correio.

Muito obrigado! Não se esqueça de confirmar sua inscrição através do e-mail que acabamos de enviar.

Algo deu errado. Por favor, tente novamente.

51kfãs
1.7kSeguidores
2.4kSeguidores
3.2kSeguidores